Artigo

Viva a ética e o compliance. Viva os contadores!

Leonardo Gonçalves*
O combate à corrupção e a exigência da sociedade por mais transparência, lisura e ética nas relações econômicas e no setor público são fatores marcantes das profundas transformações pelas quais o Brasil vem passando nos últimos anos. Os mais de 210 milhões de habitantes de nosso país vivenciam e testemunham um episódio marcante de nossa história.
No entanto, há um expressivo contingente de 518.628 pessoas que são protagonistas diretas desse processo ainda em curso de mudanças, mas que conduz o Brasil a um novo patamar de desenvolvimento e abre perspectivas de retomada de um fluxo duradouro e consistente de crescimento do PIB. Refiro-me aos profissionais homenageados pelo Dia do Contador (22 de setembro), cujo trabalho é fundamental para a consolidação de todos esses avanços aos quais estamos assistindo.
A percepção sobre a crescente relevância da profissão também está expressa em dados do Conselho Federal de Contabilidade (CFC): em 2004, a entidade registrava a existência de 359.019 profissionais. Hoje, são 518.628, uma expansão de 44,5%, em apenas 15 anos. Numerosos jovens veem a contabilidade como uma possibilidade atraente de carreira e a realização de um trabalho gratificante. Profissionais de outras áreas, como advogados e administradores, também passam a buscar formação em Ciências Contábeis, agregando relevante conhecimento às suas expertises e valorizando ainda mais os seus currículos.
O Dia do Contador comemora a instituição e regulamentação do Ensino Superior em Ciências Contábeis e Atuariais no Brasil. A medida foi adotada por meio do Decreto Lei nº 7.988, de 22 de setembro de 1945, assinado pelo então presidente da República, Getúlio Vargas. Anteriormente, só existia a formação técnica e profissionalizante de contabilidade no País. O primeiro curso superior da área foi criado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Desde então, vem crescendo a formação de contadores. Quem quiser ingressar na carreira conta com instituições de ensino de excelência em todo o território nacional.
Esses profissionais, mais do que nunca, estão ajudando a mudar o Brasil e o mundo. Entretanto, há algo que está mudando a vida deles também e facilitando de maneira significativa o cumprimento de suas missões perante a sociedade, o universo corporativo, o setor público e a economia: a tecnologia, cujo impacto é grande na profissão. Esse processo disruptivo é bastante visível, por exemplo, no Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), o qual unifica as atividades de recepção, validação, armazenamento e autenticação de livros e documentos da escrituração contábil e fiscal de pessoas físicas e jurídicas. Trata-se de um avanço no Brasil, facilitando a vida das empresas.
O que permitiu a migração dos processos do Sped para o digital com segurança e valor jurídico é o Certificado Digital, chancelado pela Infraestrutura de Chaves Públicas (ICP-Brasil). O mesmo ocorre no preenchimento e emissão da nota fiscal eletrônica, declaração do Imposto de Renda, assinatura de contratos pela internet e transações em bancos, tudo com segurança cibernética e validade jurídica.
A digitalização dos processos tem possibilitado aos contadores dedicarem-se mais à análise crítica, ao aconselhamento dos clientes no tocante ao aperfeiçoamento dos modelos de prestação de contas e balanços, com impacto positivo na gestão das empresas. A contabilidade, portanto, torna-se cada vez mais relevante para a melhoria do ambiente de negócios e o avanço do universo corporativo nacional, oferecendo mais segurança à vida contábil, financeira e administrativa de suas organizações clientes.
*Diretor comercial da Certisign

Leia também

Mais notícias

Serviços

Consultas Processuais
Consulta Jurídica
Clipping do DOU

Convênios

eGAC
Accor
Auditsafe
pki
Gemalto
CryptoID
Insania
Insania
GD Giesecke+Devrient
Serpro